Ederson, goleiro do Benfica, é desejado por vários clubes grandes da Europa, como o Manchester City, da Inglaterra

Na manhã desta sexta-feira, Tite vai anunciar a lista de convocados para os jogos contra Uruguai (Montevidéu, dia 23) e Paraguai (São Paulo, dia 28), pelas Eliminatórias para a Copa de 2018, e não será surpresa alguma se o nome de Ederson aparecer entre os goleiros. O guarda-redes – como dizem em Portugal – do Benfica está em uma fase infernal e tem sido observado muito de perto pela comissão técnica da Seleção Brasileira.

Aos 23 anos, Ederson é uma estrela ascendente do futebol europeu, mas continua rigorosamente anônimo em seu país. É mais um entre tantos casos de jogadores talentosos que trocaram o Brasil por Portugal antes de ganharem fama em sua terra, como já havia acontecido antes com Deco, Pepe David Luiz e Hulk.

No caso de Ederson, não havia mesmo como ele ser conhecido pelo público brasileiro, uma vez que mudou-se para a Europa quando tinha apenas 16 anos. Natural de Osasco, na Grande São Paulo, o goleiro entrou em 2008 para as divisões de base do São Paulo, mas sua passagem pelo clube tricolor durou pouco. No ano seguinte, foi descoberto por olheiros do Benfica e levado para Lisboa.

Nos times sub-17 e sub-19 do clube português, Ederson chamou a atenção por sua boa técnica com a bola nos pés e pela força de seu chute – graças a ela, marcou um gol da sua área em um jogo contra o Braga. O Benfica apostava muito nele e, por esse motivo, emprestou o goleiro duas vezes para que ele ganhasse horas de voo.

ederson-a-bola

Capa do jornal português ‘A Bola’ no dia seguinte ao jogo contra o Borussia Dortmund, pela Liga dos Campeões

Seu primeiro destino foi o Ribeirão, da Terceira Divisão portuguesa, pelo qual estreou como profissional. Depois, defendeu o Rio Ave, equipe da elite nacional em que foi reserva de Jan Oblak, hoje no Atlético de Madri. Quando o esloveno foi vendido para o Benfica, em 2013, Ederson assumiu seu lugar e mostrou enorme talento nos dois anos seguintes, tanto que em 2015 foi requisitado de volta pelo clube vermelho da capital. Ironicamente, o técnico que promoveu o paulista a titular no Rio Ave foi Nuno Espírito Santo, que hoje, na condição de treinador do Porto, é rival do ex-pupilo.

Assim que retornou ao Benfica, Ederson virou reserva do compatriota Julio Cesar, contratado depois que Oblak mudou-se para a Espanha. Até que a sorte lhe deu uma força: na temporada passada, o titular do Brasil nas Copas de 2010 e 2014 machucou-se nas vésperas de um clássico contra o Sporting. O que parecia ser uma “roubada” tornou-se a grande chance da vida de Ederson, que fechou o gol no dérbi e nunca mais saiu do time. Julio Cesar agora amarga a condição de reserva.

No mês passado, o garoto de Osasco atingiu seu melhor momento como profissional na partida contra o Borussia Dortmund, pela Liga dos Campeões da Europa. Ederson defendeu um pênalti e fez mais algumas intervenções espetaculares, que garantiram a vitória do Benfica por 1 a 0. A repercussão da atuação do brasileiro foi enorme, com a imprensa portuguesa o elevando à condição de herói do clube mais popular do país.

Naquela noite, estava no Estádio da Luz o campeão do mundo Cláudio Taffarel, hoje treinador de goleiros da Seleção, que ficou boquiaberto com o que viu. “Ele vai ter um futuro brilhante, só depende dele. Está no caminho certo”, disse o gaúcho ao jornal “A Bola”.

A convocação de Ederson nesta sexta, caso ocorra, não será exatamente uma novidade, já que ele fez parte do grupo que Dunga levou à Copa América Centenário, no ano passado, e só não foi aos Jogos Olímpicos porque o Benfica não o liberou. Durante sua passagem pela Seleção, o jogador revelou em quem se inspirou para tornar-se um goleiro profissional. “Meu ídolo sempre foi o Rogério Ceni. Não por bater faltas, mas pela história que construiu no São Paulo, o amor que carregou no peito. É isso que pretendo construir em um clube.”

Dificilmente, no entanto, Ederson vai construir uma história longa no Benfica. Vários clubes grandes da Europa o desejam (o Manchester City é um deles), e ele parece destinado a brilhar em um palco maior do que Portugal. E também na Seleção Brasileira.

Assista ao brilhante desempenho de Ederson contra o Borussia Dortmund:




Comments

comments