Neymar treina no Barcelona, mas pode se transferir em breve para a França (Foto: Lluis Gené/AFP)

O PSG não está para brincadeira em sua intenção de tirar Neymar do Barcelona. Além da disposição para pagar a multa rescisória de 222 milhões de euros (R$ 821,4 milhões), o clube francês se dispõe a lhe dar o maior salário do mundo e a cercá-lo de amigos em campo.

Segundo o Chuteira FC apurou, o PSG oferece 40 milhões de euros (R$ 148 milhões) por ano ao craque. Isso supera o que Tevez fatura na China (38 milhões de euros, o equivalente a R$ 140,6 milhões), derrubando o argentino para o segundo lugar no ranking dos jogadores mais bem pagos. É muito mais do que os 15 milhões de euros (R$ 55,5 milhões) que Neymar recebe hoje, e também muito acima do que ganham Messi (24 milhões de euros, ou R$ 88,8 milhões) e Cristiano Ronaldo (21 milhões de euros, R$ 77,7 milhões). No ano passado, a oferta dos franceses para Neymar foi de 25 milhões de euros (R$ 92,5 milhões).

Em conversas preliminares com o craque durante as férias, o PSG ouviu que ele gostaria de ter Daniel Alves e Philippe Coutinho como companheiros se fosse para a França. O lateral-direito já foi contratado, e sua chegada causou surpresa porque a imprensa europeia dava como certo que ele assinaria com o Manchester City para voltar a trabalhar com Pep Guardiola – que, aliás, ficou furioso por Daniel ter roído a corda na última hora. E pagar 100 milhões de euros (R$ 377 milhões) ao Liverpool para contratar Coutinho é algo ao alcance do PSG, que conta com o suporte financeiro do poderosíssimo grupo Qatar Sports Investment (QSI) para bancar seus sonhos. O QSI é um colosso presidido por Nasser el-Khelaifi (presidente também do PSG) que investe em esportes e entretenimento. Khelaifi ainda comanda o beIN Group, um império que possui 22 canais de televisão.

Se contratar Neymar e Coutinho, o clube francês dará duas bordoadas no Barça. Uma ao levar Neymar embora, e outra ao comprar um jogador que interessa aos espanhóis. E pode dar ainda uma terceira, com Verratti decidindo ficar em Paris para fazer parte de um time de sonho ao invés de forçar a barra para se transferir para a Catalunha.

Além do salário nababesco oferecido a Neymar, o grupo do Catar que dirige o Paris Saint-Germain também acena com a possibilidade de ele ganhar muito dinheiro com publicidade. O Catar adoraria ter o brasileiro como garoto-propaganda da Copa do Mundo de 2022, ainda mais se ele for a estrela do clube. Para ajudar, Nasser el-Khelaifi é integrante do Comitê Organizador do Mundial. Outra porta que pode se abrir em termos de publicidade é a da companhia aérea Emirates, que patrocina o PSG.

Uma pessoa importante no processo que pode levar Neymar ao clube francês é o ex-jogador Maxwell. Ele encerrou a carreira ao final da temporada passada e hoje tem um cargo na direção do PSG. Foi companheiro de Neymar na Seleção em 2014 (assim como de Daniel Alves) e tem bom relacionamento com ele.

O PSG espera com ansiedade o sinal verde de Neymar para poder depositar o valor da multa rescisória. O elenco está nos Estados Unidos para a pré-temporada, mas na Europa há dirigentes alertas à espera da resposta do craque. Estados Unidos, por sinal, também será o destino do Barça em sua preparação para a temporada.

O time viaja quarta-feira e fará três jogos: sábado em Nova York contra a Juventus, dia 26 em Washington diante do Manchester United e dia 29 em Miami contra o Real Madrid. O PSG está no país desde sábado, treinando em Miami. Jogará quarta-feira em Detroit contra a Roma, sábado em Orlando diante do Tottenham e terá a Juventus pela frente em Miami no dia 26. Se a contratação for fechada rapidamente, como deseja o PSG, Neymar mudará de concentração nos Estados Unidos e se juntará aos novos companheiros.




Comments

comments